terça-feira, 10 de abril de 2007

A GRANDE VIAGEM - filme marroquino/francês de 2004, que conta a história de um pai, muçulmano radical, que é levado pelo filho, não-religioso, de carro à Meca, passando por Jordânia, Síria, Turquia, Arábia Saudita... Interessante é perceber as pequenas (grandes) diferenças entre o modo americano e o não-americano de cinema. O filme é belo, com cenas externas daquelas estradas sem fim no interior dos países pela qual passa (como é característica de qualquer Road Movie que se preze), mas vale a pena se notar que as mesquitas mostradas nas cenas não são mero "objeto de cena", como o são a Estátua da Liberdade, a Ponte de Chicago ou o Big Ben, sei lá, em alguns filmes. As mesquitas tem uma beleza única na estrutura, mas também um papel vital na cultura daquelas pessoas, daqueles muçulmanos, é uma coisa intrínsica no cotidiano deles, é muito bonito de se ver. A devoção com a religião e os tradicionais costumes também é de se notar. E o choque com uma outra realidade, a não-religiosa, é o principal enfoque do filme.Até um pouco depois do meio do filme, ele segue como belo road movie, mas próximo ao final ele desbanca muito para a religiosidade, mas isso não o torna menos interessante, apenas muda um pouco o rumo... e as cenas em Meca são belísimas... é impressionante.

Um comentário:

KAZINHA LACERDA disse...

SAUDAAAAAAAAAAAAAAAAAADE