sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

A LENDA (1985)

O diabo, senhor das trevas

A LENDA (Legend / 1985) - Daqueles filmes que marcam a infância mas que não ficam na cabeça, pelo menos para mim. Reassistir A Lenda foi uma viagem de volta aquele "lembro disso" em algumas cenas. Mas quando o filme saiu eu tinha meros 4 anos e depois quando passava na Sessão da Tarde eu deveria ter por volta de 7, 8. E o filme de alguma forma não ficou comigo, assim como outros da mesma época ficaram, como Goonies por exemplo.

Lili e Jack

Ridley Scott já tinha dirigido Alien e Blade Runner quando assumiu a direção de A Lenda, um filme de fantasia em um mundo de unicórnios, elfos, fadas, duendes e o próprio demônio em si. Tom Cruise interpreta Jack, o herói apaixonado por Lili (Mia Sara, a namorada de Ferris Bueller em Curtindo a Vida Adoidado).

Mia Sara

Juntos, passeiam pela floresta e acabam um dia observando dois unicórnios, o ser mitológico que dá balanço à floresta e à existência. Quando Lili toca no unicórnio - algo que não deveria fazer - o animado é alvejado por um dardo distante e ele acaba ficando debilitado.

Unicórnio, o animal mágico da floresta

O dardo foi lançado por um goblin à mando do demônio (Tim Curry) que quer à todo custo impedir que o sol nasça novamente e com isso ter o domínio sobre todo o lugar. O unicórnio atingido perde o seu chifre, ítem mágico que pode reparar o mal que foi feito. A partir do momento que o chifre é cortado do animal a neve e a escuridão tomam conta da floresta.

Criaturas fantásticas

Arrependida, Lili parte em sua jornada para tentar reparar o mal que fez. Jack, se junta a um grupo de duendes comandado por um elfo baixinho e nervoso, para recuperar o chifre do unicórnio, salvar Lili e derrotar o demônio.

O elfo

A Lenda é uma viagem do começo ao fim, fantástica, mas que não teve um grande sucesso comercial e custou bem mais do que arrecadou. Mas marcou de alguma forma a infância de muita gente, principalmente a demoníaca figura de Tim Curry, com uma maquiagem impecável, uma voz cavernosa e dois enormes chifres pretos.

O processo de maquiagem de Tim Curry

Mas envelheceu mal. Vendo hoje não cumpre mais o papel que cumpriu, é datado e exagerado. Assim como História Sem Fim, lançado um ano antes em 1984. Esse sim se pegou mais ao mundo infantil e acabou rendendo duas sequências. Já Scott preferiu para A Lenda algo mais elaborado, com algumas questões mais sérias. Uma fantasia com um tom bem mais sombrio.    

A casa do diabo

Veja abaixo o trailer de A Lenda.


Nenhum comentário: