segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

O DESTINO DE UMA NAÇÃO (2017)

Reconhece Gary Oldman?

O DESTINO DE UMA NAÇÃO (Darkest Hour / 2017) - Sabe aquele filme patriótico, daqueles que a gente sai do cinema falando: "nossa, é muito americano"? Pois é, O Destino de uma Nação é a mesma coisa só que do lado inglês. É muito britânico. Joe Wright dirigiu Orgulho e Preconceito e Desejo e Reparação, filmes baseados na obra de Jane Austen. De dramas de época ele entende. E ele se tornou a escolha certeira para dirigir um momento marcante para a Grã Bretanha e porque não, para o mundo.

Joe Wright em ação

Segunda Guerra Mundial. A Alemanha nazista não para de conquistar novos territórios e finalmente chega a Dunkirk, encurralando o exército britânico por terra e pelo mar. Ou eles se entregam fazendo um acordo com os nazistas ou partem para a luta.

Em casa, um homem com as suas inseguranças

Essa decisão coube ao primeiro ministro britânico da época, Winston Churchill, interpretado em O Destino de uma Nação por um irreconhecível Gary Oldman. A maquiagem e a interpretação de Oldman concorrem ao Oscar. O filme ainda pode levar o prêmio de melhor filme, embora eu ache pouco provável.

Ditando para a secretária um dos seus discursos

Churchill assume o segundo cargo político mais importante da Inglaterra - abaixo apenas do rei George VI - em um momento de turbulência e incerteza no país. Aos poucos, Churchill foi colocando a sua marca apoiado nos discursos, sempre incisivos - apesar dos problemas de fala que trouxe desde criança.

O encontro com o rei

Isso não impede que ele tenha destaque em sua principal decisão no cargo. Durante o episódio de Dunkirk - que curiosamente é retratado no filme de Christopher Nolan que também concorre ao Oscar de melhor filme - boa parte dos membros do parlamento votam para que a Inglaterra se renda e faça um acordo com a Alemanha nazista. Cabe à Churchill a decisão final.

Entre oposição e governo

Ele surpreende a todos, e convoca frota de civis para que salvem os soldados emboscados em Dunkirk. O plano dá certo, a Inglaterra não se rende à Alemanha nazista e Churchill sai do episódio como herói. Exatamente aí o filme acaba.

O V de vitória

O grande mérito de O Destino de uma Nação está em Oldman, que entrega um Churchill até engraçado em alguns momentos. O Destino de uma Nação vale como registro de um importante momento da história, mas fica nisso. Sinceramente como obra cinematográfica, nem tanto. Alguns diálogos são longos demais e algumas cenas se arrastam.
Veja abaixo o trailer de O Destino de uma Nação.

Um comentário:

Fabrizio Oliveira disse...

Me parece muito interessante os filmes por que são muito interessantes, podemos encontrar de diferentes gêneros. De forma interessante, o criador optou por inserir uma cena de abertura com personagens novos, o que acaba sendo um choque para o espectador. Desde que vi o elenco de O Destino de uma Nação imaginei que seria uma grande produção, já que tem a participação de atores muito reconhecidos, pessoalmente eu irei ver por causo do atriz Lily James, uma atriz muito comprometida. Eu a vi recentemente em Baby Driver Filme. É uma historia que vale a pena ver. Para uma tarde de lazer é uma boa opção. A direção de arte consegue criar cenas de ação visualmente lindas.