terça-feira, 6 de novembro de 2007

SCOOP, O GRANDE FURO - É incrível a capacidade de alguns cineastas se reinventarem com o tempo (como a Madonna faz na mísica), mas definitivamente Woddy Allen não é um deles. Calma, eu explico... não é que ele sempre se repete, apenas se aprimora naquilo que é melhor, a comédia do dia-a-dia, do convencional. Aí ele é mestre, não há ninguém que possa se comparar!
O seu filme anterior, Match Point foi excelente (apesar de eu ter a convicta certeza de que não passa de uma refilmagem de Crimes e Pecados, do Woddy também), com seus momentos e diálogos cortantes. Mas o plot principal gira em torno do suspensesobre o romance dos protagonistas. Em Scoop, a comédia é o prato principal. Ele (mágico fracassado) e uma aspirante a jornalista (Scarlett Johansson) tentam desvendar o mistério por traz de um serial killer, que acreditam ser um misterioso rapaz de alta classe (Hugh Jackman). Woddy faz um papel muito importante, o de sempre, o incomodado-inseguro-neurótico-judeu, mas engraçado até quando não quer, ou precisa.
Este é Woddy Allen, nas pequenas coisas ele faz a diferença, e esta diferença define o que é banal e o que é genial.

2 comentários:

Diego disse...

cara, muito bom teu blog, minha namorada que me indicou... e já linkei... adoro tarantino!

aguardo tua visita!

KAZINHA LACERDA disse...

Fa, eu curti bastante o filme, mas não tá na lista dos melhores dele não...